A Técnica Coringa para Controlar Ataque de Pânico: Respiração Diafragmática – Síndrome do Pânico

A Técnica Coringa para Controlar Ataque de Pânico: Respiração Diafragmática – Síndrome do Pânico
5 (100%) 1 vote

A Técnica Coringa da Síndrome do Pânico: Respiração Diafragmática

Vamos falar agora aqui na Academia de Ex-Portadores de Síndrome do Pânico da técnica coringa para controlar ataque de pânico. Ela é conhecida superficialmente por todos, mas até onde eu sei, é pouco aplicada com eficácia porque a maioria das pessoas acabam fazendo de uma forma errada.

E aqui nesse artigo eu vou compartilhar com você como fazer respiração diafragmática para controlar os sintomas durante um ataque de pânico.

A respiração é a base de tudo. Ela pode tanto gerar os sintomas de ansiedade e um ataque de pânico se realizarmos a hiperventilação, quanto diminuí-los e controlá-los através da respiração diafragmática e as técnicas combinadas que ensino no meu livro. Falarei mais a respeito desses dois tópicos abaixo, com ênfase na respiração diafragmática.

A Hiperventilação

De forma bem simples e resumida falando, a hiperventilação é quando você respira mais rápido, manda mais oxigênio pra dentro, e como consequência disso, geram sintomas de como se você tivesse corrido 400 metros o mais rápido que você conseguiu!

O coração acelera para oxigenar mais, sua temperatura aumenta, ocorre transpiração e muitas outras coisas que eu cito no meu livro.

Quer a notícia ruim? Muita gente faz isso de forma inconsciente, e os sintomas de ansiedade e ataques de pânico surgem “de repente” e não sabem o porque!

Com a respiração diafragmática, a nossa técnica coringa, ela vai agir limitando o oxigênio que você está mandando pra dentro, forçando o coração bater mais devagar, e produzir mais dióxido de carbono, e por fim, mantendo o equilíbrio dos dois. Corrigindo sua respiração, os seus sintomas físicos diminuem. Parece bom? Continua lendo!  😉

Imagine uma técnica portátil que você aplica sem precisar de um objeto, alguém ou qualquer outra coisa que não dependa de você e que aja diretamente no sintoma que mais incomoda, que é o coração acelerado? Boas notícias, baby! Estou falando da respiração diafragmática. E para aplicar, você só precisa apenas do seu lindo e leve corpo vivo, a informação exata de como fazer corretamente e entrar em ação.

É importante ressaltar que essa técnica coringa é utilizada apenas para momento de agitação pré-crise ou durante um ataque de pânico. Ela em si, não consegue controlar a síndrome do pânico totalmente. Na realidade, há um conjunto de outros fatores, além do autoconhecimento, que irão realmente te ajudar a controlar também a síndrome do pânico da mesma forma que fiz. Meu livro fala disso! 🙂

Então tenha em mente que essa técnica é para te ajudar a diminuir os sintomas na hora que eles estiverem desconfortáveis!

 

Como fazer Respiração Diafragmática

É simples, mas é preciso prestar atenção. O que as pessoas fazem normalmente? Elas respiram jogando o ar superficialmente para o pulmão, e o soltando. Tudo certo até ai. Não há nada de errado. Mas para usarmos a respiração a favor da síndrome do pânico, você precisa direcionar o ar para outro lugar

Na respiração diafragmática, você deverá seguir as orientações a seguir:

respiração diafragmática síndrome do pânico
respiração diafragmática síndrome do pânico

ORIENTAÇÕES RESPIRAÇÃO DIAFRAGMÁTICA:

  1. Inspirar pelo nariz e direcionar o ar para a sua barriga, de forma que ela se expanda. O peito deve ficar intacto ou pouco se mover. (Ver imagem no artigo);
  2. Soltar o ar lentamente pela boca, na mesma contagem ou mais longo que a inspiração. (Se você inspirou durante 4 segundos, irá expirar em 4 ou 6 segundos. Veja o que funciona melhor com você)
  3. Repetir o procedimento até os sintomas abaixarem. Fique tranquilo. Realmente funciona!

Seu dever agora, nesse exato momento, é parar o que está fazendo e treinar. Treinar 3 à 5 minutos a respiração diafragmática para que você, quando (se) precisar usar, já tenha a prática e os resultados sejam ainda melhores!

Importante ressaltar que você não irá desmaiar ou qualquer outra coisa do tipo realizando esse tipo de respiração. Ela é totalmente segura, eficaz e ideal para pratica de relaxamentos e principalmente controlar ataques de pânico de forma bruta!

academia de ex-portadores de síndrome do pânico
academia de ex-portadores de síndrome do pânico

Se você gostou dessa técnica, poderá gostar também do meu livro completo “O Manual Para Se Tornar Um Ex-Portador de Síndrome Do Pânico” onde eu escrevi tudo o que realmente funcionou para eu me tornar um ex-portador de síndrome do pânico, e traduzido na linguagem para você também se tornar um.

O meu método é baseia-se na compreensão dos processos e fisiologias, técnicas de enfrentamento de crises, autoconhecimento, atitude e comportamento, programação neurolinguística, estratégias de guerra, proatividade e princípios de empreendedorismo, e o mais importante, a minha experiência na pele com o assunto!

>>>> Você pode adquirir a sua cópia aqui nesse link! <<<

Achou útil esse artigo? Compartilhe e vamos ajudar mais pessoas!

Pense em uma pessoa agora que poderia gostar desse artigo? Pensou?

Agora em algum botão aqui no artigo para compartilhar e enviar / marcar essa pessoa. Ela vai gostar! E após isso, cadastre-se aqui na minha lista de emails gratuita do site para você receber mais material exclusivo meu para te ajudar com a síndrome do pânico, seu sucesso pessoal e profissional!

Vini.

Receba Mais Dicas para Controlar a Sua Síndrome do Pânico!

Insira o seu endereço de email abaixo para receber mais dicas para síndrome do pânico através aqui da Academia de Ex-Portadores de Pânico! Informe seu e-mail atual abaixo agora!>

Alimentação para Quem Tem Síndrome do Pânico. Como Ela Influencia Seu Processo de Controle das Crises?

Alimentação para Quem Tem Síndrome do Pânico. Como Ela Influencia No Processo de Controle

Alimentação para Quem Tem Síndrome do Pânico. Como Ela Influencia Seu Processo de Controle das Crises?
5 (100%) 7 votes
Alimentação é um ponto cego para quem sofre com síndrome do pânico e precisa estar atento a isso por que ela influencia MUITO no seu processo de controle. E aqui eu não vou te dar uma aula de nutrição, e sim, chamar a atenção da maneira que você nutre seu corpo, influencia diretamente com o que você sente. E isso vira um efeito bola de neve positivo ou negativo, que varia de acordo com seus hábitos alimentares.

E Tenha uma MENTE ABERTA…

efeito bola de neve alimentação síndrome do pânico
efeito bola de neve alimentação síndrome do pânico

Porque a maneira que irei abordar aqui será sistêmica, ou seja, do todo. Será como eu comentar sobre a fatia de uma pizza e como aquela fatia influencia o restante e as outras pessoas que também querem. E espero que caiam algumas fichas até o final desse post. 😉

Antes, quero RESSALTAR que quem sofre com síndrome do pânico e ansiedade, geralmente tem mais sensibilidade a cafeína e outros estimulantes.

O que acontece quando a pessoa é diagnosticada com síndrome do pânico? Na maioria dos casos é o seguinte:

A pessoa é diagnosticada com Pânico -> Começa o tratamento com Medicamentos -> E espera que tudo se resolva com o tempo e continua fazendo as mesmas coisas.

Há algo de errado nisso? Eu acredito que não, mas eu defendo o que funcionou PRA MIM e compartilho com você para que facilite seu processo nesse tipo de transformação também! E o que fez parte do meu processo de controle? Cuidar de forma SISTÊMICA e PROATIVA de todo o corpo.

E nesse post, eu vou falar somente da refeição matinal, o café da manhã. Esse é um conteúdo muito amplo para ser abordado aqui. Temos ainda pelo menos mais 4 refeições a frente, com seus respectivos horários. Requer maior atenção e isso eu faço dentro do meu programa fechado Academia de Ex-Portadores de Pânico (as inscrições estão fechadas no momento, para ter mais infos, precisa se cadastrar na minha lista de emails aqui no site que eu aviso por lá). Mas apenas com esse post, você pode tirar como base de como as suas refeições diárias influenciam positivamente ou negativamente com o seu estado atual dos ataques de pânico.

Nosso corpo precisa ser nutrido e hidratado corretamente!

Nesse mesmo corpo, encontram-se o nosso cérebro, coração e pulmões, assim como todos os outros órgãos. E como você mantém o bom funcionamento deles? Através da nutrição. E como? Nos alimentando de forma saudável, variada e equilibrada!

nutrição do corpo
nutrição do corpo

De nada adiantará você tomar seiscentos medicamentos se você não der atenção para o que você ingere e vou provar isso pra você aqui nesse artigo.

Quem está em modo automático, não dá atenção para a alimentação

E o ponto que eu quero chegar é o seguinte: Muita gente, em modo automático de crises de pânico, come e bebe “qualquer coisa” por aí só pra sustentar. Isso é um TREMENDO erro. Uma vez que existem estimulantes, calmantes, bombas de energia (calóricos), etc.

Exemplo sistêmico de uma bola de neve que vai se formando e provoca crises

Ao acordar, ainda meio sonolento(a), você toma aquele cafézinho quente, come um pão com margarina e vai trabalhar ou estudar. Aparentemente tudo normal até então, certo? Errado!

café ao acordar
café ao acordar

Vamos mais afundo para você entender!

O Café é estimulante e já foi provado que aumenta os níveis de ansiedade e pode provocar crises de pânico, assim sendo, você já começa seu dia com os níveis de ansiedade maiores, mais agitado e com cafeína no corpo (que gera dependência sim!)

E se não bastasse só o café, ainda tem o pãozinho que é um carboidrato simples e de índice glicêmico alto (e ainda contém glúten, relacionado à problemas intestinais) que vira açúcar rapidamente, e entra na sua corrente sanguínea em forma de glicose para gerar energia rápida pra você. Com isso, o nível de sua glicose no seu corpo aumenta, e o pâncreas precisa gerar um pico de insulina (se ele ainda* estiver bom – ainda pelo fato de hábitos destrutivos diários que pode ser um tema de post no meu site pessoal viniciustadeu.com.br ).

pão na chapa
pão na chapa

E a margarina (que não é manteiga)… A Margarina é VENENO! Gordura trans!  é tão ruim para a nutrição do seu corpo e seu coração que nem formiga chega perto! Observe isso. Faça o experimento: Deixe um pote de margarina aberto e vê se barata, formiga ou algum outro inseto irá chegar perto… Nenhum! Apenas você (nós, humanos).

margarina faz mal
margarina faz mal

E o resultado disso: você começa o seu dia ansioso, agitado, com o coração um pouco mais rápido pela cafeína, com mais fome (carboidrato simples) e se o seu pâncreas não estiver muito bom, com possíveis sinais de fraqueza/fadiga, visão turva, aumento do apetite e sede excessiva.

E AINDA NÃO ACABOU PAPAI!!!! É só a PRIMEIRA PARTE do negócio! Calma papai, calma que daqui pra frente só piora. Esse é só o comecinho…

Agora olha como isso vai virando uma bola de neve sem fim:

Agora preste atenção! Leia atentamente para entender!

1. O seu apetite aumentou por que você comeu o pãozinho (carboidrato simples e de índice glicêmico alto – vira glicose rapidamente e também não dá sensação de saciedade, a não ser que você coma uns oito) e você decide comer mais alguma coisa por que ainda está com fome! E decide comer ouro pão com margarina ou algum embutido (que são PÉSSIMOS) com um chocolatezinho logo cedo (outro estimulante), ou então um salgado tipo coxinha (carboidrato simples, índice glicêmico alto, gordura ruim, prejudicando o coração e seu pâncreas) lá na padaria ou no bar do bigode – novamente a fome não passada, o máximo que pode acontecer é você ficar estufado.

2. Diante da sua fraqueza/fadiga (seja por ter comido muito anteriormente, pelo seu pâncreas, má noite de sono), você resolve tomar MAIS UM CAFÉZINHO do bem pra dar aquela animada braba, já que possivelmente seu dia será um pé no saco ou muito longo e você não consegue levar o dia daquele jeito! E lá vai você novamente ingerir mais cafeína no seu corpo para te deixar mais agitado e com o coração mais acelerado!

3. De repente, sua visão turva (pelo pâncreas ou até mesmo eletrônicos), você acha que está passando mal, se assusta com aquilo, seus níveis de ansiedade aumentam MAIS e você fica mais agitado (por conta de tanto café) e alguns casos inicia um ataque de pânico.

Começou a fazer sentido pra você ou acha que sou um louco, irresponsável ou lunático?

E quem está no piloto automático, faz isso:

Você acorda e faz o seu cafézinho e toma. Você tem fome, come o pãozinho com margarina carboidrato simples que não dão sensação de saciedade + a gordura péssima da margarina, e com isso, acaba comendo mais por não estar saciado. E isso causa mais fraqueza e sono, por que o organismo precisa concentrar as energias para fazer a digestão. Diante da fadiga e fraqueza, você toma mais café. O café aumenta o ritmo cardíaco do seu coração e te deixa mais agitado pela cafeína.

E como você começou agora está agitado, ao mesmo tempo fraco ou com sono, toma um rivotril ou algum ansiolítico para aquela sensação ruim passar…

E por fim, você PROVOCOU o desconforto / crise de pânico mas RESOLVEU O SINTOMA (não o causa)!

É como se houvesse uma goteira e você colocasse baldes para resolver, mas a causa está no teto, forro, telhado, etc… O balde soluciona o “sintoma” – goteira -, mas a causa – o teto -, você esquece.

goteira chaves
goteira chaves

E qual era a causa da crise de pânico nesse caso?

O seu péssimo hábito alimentar que leva atualmente.

Isso tudo que compartilhei com você foi uma forma sistêmica do negócio, e você percebe que é uma coisa MUITO LOUCA e os mais céticos vão falar que EU que sou louco, porém, diante disso, vemos quem tem e quem não tem os resultados.

Alimentação equilibrada para quem sofre com crises de pânico, existe?

Isso pode ser o assunto de um outro post aqui no blog da Academia de Ex-Portadores de Pânico. Mas posso sugerir algumas coisas para você adotar na sua vida.

IMPORTANTE: Isso não é uma dieta universal e tão pouco uma recomendação. Consulte um nutricionista!

  • Alimentação de 3 em 3 horas (não tem essa que você não consegue, CONSEGUE SIM! É só você querer);
  • Adote os carboidratos complexos, geralmente são os integrais! (Arroz integral, batata-doce, pão integral, cevada, aveia… Embora os carboidratos de índice glicêmico alto e baixo tenham suas respectivas funções, nesse caso, possivelmente você não come os integrais, somente os simples tipo pão e arroz branco. Adote os complexos)
  • Coma mais proteína animal (frango, carne, peixe… – só não vai fazer frito ou lambuzado de óleo por que ai você vai estar de brincadeira na tomateira!)
  • Coma gorduras boas (azeite de oliva EXTRA VIRGEM – não é oleo composto!, abacate)
  • Coma verduras e legumes;
  • EVITE ou DIMINUA de forma progressiva os estimulantes! Café, coca-cola, energéticos, chá-matte, chá-verde, chocolate…)
  • Beba Bastante Água – Pelo menos 1 copo de 300 mls a cada 1 hora durante o dia

Sua próxima refeição será automática ou você irá rever o que irá comer?

Esse é seu dever agora. Só saia desse artigo depois que pensar a respeito de sua próxima refeição.

E eu espero que de hoje em diante você preste atenção à sua alimentação de forma sistêmica para prevenir o surgimento de crise de pânico e aumento dos níveis de ansiedade.

Gostou desse Artigo? Compartilhe isso agora no seu Facebook. Aperte um dos botões aqui ao lado e publique! É mais rápido que copiar e colar! Certamente com essa pequena atitude você poderá ajudar alguém a diminuir o sofrimento das crises de pânico!

Mande em algum grupo que você frequenta, eles irão te agradecer e você patrocina a criação de novos conteúdos aqui para o Academia de Ex-Portadores de Pânico!

Receba Mais Dicas, Artigos, Vídeos e Aulas Exclusivas Gratuitamente

No mais, se você gostou desse artigo, vai gostar mais ainda de receber meus e-mails exclusivos que mando para os leitores aqui do Academia de Ex-Portadores de Pânico, e também, receber muito material bacana e infos das novas turmas do programa Academia de Ex-Portadores de Pânico! Cadastre-se gratuitamente na lista abaixo e receba! 🙂

Receba Mais Dicas para Controlar a Sua Síndrome do Pânico!

Insira o seu endereço de email abaixo para receber mais dicas para síndrome do pânico através aqui da Academia de Ex-Portadores de Pânico! Informe seu e-mail atual abaixo agora!>

As 4 Etapas do Ciclo do Pânico – Como é Formado e Como Vira Um Ciclo

As 4 Etapas do Ciclo do Pânico – Como é Formado e Como Vira Um Ciclo
Avalie essa dica

O Ciclo do Pânico

Pessoas que sofrem com ataques de pânico acabam ficando presas num ciclo muito incomodo que é o ciclo do pânico, até que elas consigam assumir o controle da sua mente e desvincular esse ciclo. Aqui abaixo irei explicar quais são os estágios do ciclo do pânico, o que acontece em cada um deles, como isso se torna um ciclo e a melhor maneira de sair desse ciclo.

ciclo do pânico
ciclo do pânico

Estágios do Ciclo do Pânico

O ciclo do pânico é formado por 4 estágios, sendo eles:

1º Estágio – Ansiedade Antecipatória;

É quando você se sente inseguro com alguma situação que está por vir ou alguma associação semelhante a um trauma passado. Você fica tipo em “radar” para o perigo.

  • Exemplo 1 – Trauma passado: imagina uma situação hipotética em que você foi assaltado por um cara alto de “5” metros de altura (sabemos que não existe, é apenas para exemplificar) e de repente você está em algum lugar e chega um cara de 4 metros do seu lado. O que você imaginaria? As chances são que você iria lembrar do cara alto que te assaltou e associaria que cara alto é “ruim” e os sintomas de ansiedade seriam ativados para te proteger daquela situação, lutar ou fugir.
  • Exemplo 2 – Medo do Futuro: Imagina a seguinte situação em que você precisa dar uma palestra para um público de 1.500 pessoas e você não domina o tema de sua palestra, com isso, você fica preocupado e tenta ser o mais perfeito possível para diminuir os níveis de rejeição e consequentemente, os sintomas de ansiedade vão aparecendo pelo medo de não dar certo e você passar vergonha ou errar.

2º Estágio – Ataque de Pânico;

Hora em que as reações de luta e fuga são ativadas, as famosas crises de pânico, e as sensações de ansiedade se tornam mais intensas. Seu corpo está se preparando para lutar ou fugir, desencadeando todos aqueles sintomas na mesma hora. Esses sintomas não irão te matar. Você sente tanto medo porque os mesmos são disparados todos de uma vez, e isso assusta.

Obs: Seria uma falha de nosso corpo se as reações de Luta x Fuga fossem acionadas uma a uma, após o “alerta de perigo” ser definitivamente acionado. Imagina diante uma situação real de perigo o nosso corpo acelerando o coração aos poucos, estreitando os vasos sanguíneos lentamente, demorando para transpirar, as chances de ser um caso fatal seriam enormes, não é mesmo? Então tome isso que seu corpo está de bem contigo!

3º Estágio – Fuga e Alívio;

Bem simples! É quando você escapa da situação que estava te trazendo desconforto (geralmente um lugar ou uma pessoa). Mas nem sempre quando você sai do lugar, os sintomas desaparecem na hora. Até a adrenalina abaixar, demoram alguns minutinhos. Aqui geralmente é combinado com uma respiração diafragmática para acelerar o processo de diminuição dos sintomas. 😉

4º Estágio – Instalação de Crenças Limitantes / Autocrítica e Autodesconfiança

Pensamentos do tipo “Eu só dou trabalho para meus parentes”, “Ninguém me entende”, “Se eu passar mal de novo as pessoas vão rir de mim”, “Se me der uma crise no meio da apresentação de segunda, vou prejudicar o grupo ou me prejudicar”, “E se me der uma crise e eu estiver sozinho? Quem vai me socorrer?

Como o Ciclo do Pânico é Formado?

Para que você entenda como o ciclo do pânico é formado, quero que imagine que você tenha passado por todos os estágios já – teve sua primeira crise – no 4º estágio as crenças limitantes são instaladas. Crenças do tipo:

  • Eu não posso mais ABC;
  • Eu não consigo mais XYZ;
  • Eu nunca mais foi conseguir ABC;
  • Eu tenho medo do metrô por que tive essa crise lá;
  • Eu nunca mais vou conseguir falar em público;
  • Ninguém me entende;
  • Como o médico fala que está tudo bem comigo se eu passei muito mal;
  • Eu sou fraco;

E diante dessas crenças instaladas no estágio quatro do ciclo do pânico, eu me vejo por exemplo numa situação em que eu preciso andar de metrô novamente (4º crença da lista de exemplos acima) e logo aquela memória negativa da crise é ativada e você relembra toda aquela imagem da situação passada e como você acha que você irá se sentir e pensar?

Se decidir enfrentar a situação de medo com suas crenças negativas ainda em sua mente, você tentará ser o mais perfeito possível para não errar (seja não chamar muita atenção ou não parecer apreensivo ou com medo)para que não os outros não te notem, dê trabalho ou passe vergonha, por exemplo. (Vídeo: O que é perfeccionismo | Vinícius Tadeu). E no perfeccionismo, seus níveis de ansiedade aumentam, os sintomas aparecem e você se assusta por que acha que está entrando novamente em crise! Seu corpo entende que aquilo tudo é perigoso, passa para o estágio 2 – ativação dos sintomas de luta x fuga – e a brincadeira vai virando uma bola de neve!

E aí? Você está preso no Ciclo do Pânico atualmente? Comente!

Gostou desse post? Achou interessante? Compartilhe!

Baixe gratuitamente meu guia prático com 10 técnicas de enfrentamento de crises! Receba-o agora! Informe seu e-mail abaixo:

Receba os Melhores Materais do Ex-Portador para Se Livrar da Ansiedade

Para receber o link desses conteúdos, informe seu e-mail de contato para que os mesmos possam ser enviados. Você também se juntará a 3.115 pessoas e que fazem parte da lista VIP e gratuita por e-mail do Vinícius Tadeu, Coach e Ex-Portador de Pânico.>

Teste de Sindrome do Panico

Teste de Sindrome do Panico
Avalie essa dica

Teste de Sindrome do Panico

O número de casos de sindrome do panico, transtorno do pânico, vem crescendo, assim como o distúrbio bipolar, ansiedade e depressão. No entanto, pessoas se auto-definem como portadores dessas síndromes, sendo que os profissionais da saúde são os únicos capacitados a fazer um diagnóstico. Quando você está tendo algum problema, independente de qual ser, o importante é buscar ajuda profissional, mas às vezes, a dificuldade está em por onde começar, qual o melhor especialista para o que você está sentido. Para tanto, existe o teste de sindrome do panico, que pode ser facilmente encontrado na Internet.

É essencial lembrar que o teste não substitui a consulta com um médico, seja ele um psicólogo, psiquiatra ou de outra especialidade, sendo necessária a visita ao consultório médico. O teste de Sindrome do Panico também é uma ferramenta de auto-conhecimento, que pode ser utilizada por qualquer pessoa, mesmo que por curiosidade.

No caso de você fazer o teste e o resultado mostrar que você tem a Síndrome do pânico, o mais indicado é que faça outros testes de sites diversos e é claro, consultar um médico ou psicólogo. Existem diferentes modelos, alguns funcionam com perguntas e respostas rápidas, outros oferecem uma lista de sintomas e pede que você escolha quantos deles costuma ter.

No caso do transtorno de pânico se confirmar em outros testes, você não deve se desesperar e nem ficar preocupada. Consulte as opções que o seu plano de saúde oferece e marque uma consulta, mas não é necessário pedir à secretária do médico uma consulta urgente, pois você descobriu que sofre do distúrbio. Mantenha a calma e aguarde o dia de sua consulta, a não ser que você sabe que teve recentemente um ataque de pânico.

teste de sindrome do panico
teste de sindrome do panico

Tipos de teste de Sindrome do Panico

Teste de sindrome do panico que são encontrados na Internet para identificar se uma pessoa possui ou não o transtorno do pânico, na realidade, são testes psicológicos que funcionam mais para medir o grau de ansiedade que você tem. Como você sabe, a ansiedade é o mal do século atualmente. Por isso, esse teste não pode identificar que precisamente que você sofre possui a sindrome do panico, mas sim, um grau acima do normal de ansiedade, que também merece a sua atenção.

Muitos sites oferecem um teste para Sindrome do panico bastante dinâmico, o qual possui em torno de 12 perguntas. Você deve escolher entre as alternativas “sim” e “não” e seguir para a próxima questão. Outros, no entanto, oferecem uma lista de sintomas e pede que você escolha aqueles que sentem frequentemente.

Mesmo com dinâmicas diferentes, esses testes, de forma geral, vão identificar se você possui ou não o transtorno de pânico conforme o número de respostas afirmativas que você escolher. Entre as opções que esses testes costumam oferecer estão: contração, tensão ou rijeza muscular; palpitações (quando o coração dispara); atordoamento, tontura e náusea; dificuldade de respirar e boca seca; e calafrios ou ondas de calor, com muito suor.

Outros sintomas que os testes de Sindrome do panico apresentam, em geral, são sensação de estar sonhando ou distorções de percepção da realidade; sensação de terror, de que alguma coisa horrível está prestes acontecer e você não vai conseguiu evitar ou enfrentar esse acontecimento; confusão e pensamento rápido; medo de perder o controle, fazer algo embaraçoso; medo de morrer; e sensação de debilidade e vertigens. Os testes costumam apontar que se a pessoa que fez o teste escolher ao menos quatro opções das oferecidas é indicado que ela procure um médico, uma vez que está manifestando alguns sinais do transtorno do pânico.

Como Saber se uma Pessoa tem Sindrome do Panico

Além dos sintomas descritos anteriormente e que em geral estão presentes nos testes de Sindrome do panico, é importante ressaltar que os sintomas físicos que se associam ao distúrbio podem aparecer repentinamente, do nada, quando você estiver em sua casa vendo televisão ou dirigindo, por exemplo. Por isso que esses testes são indicados, principalmente, as pessoas que estão tendo crises de ansiedade que acontecem de forma inesperada e sem motivo aparente.

Para entender melhor, é como se a crise de pânico fosse uma reação de luta ou fuga do organismo diante de um perigo imaginário. Além disso, ela pode durar até meia hora, sendo que o mais comum é que tenha duração de 10 minutos.O quadro se agrava quando a pessoa, depois de ter uma crise de pânico ou um ataque de panico, começa a viver em estado de alerta, achando que a qualquer momento a crise pode se repetir.

Se isso começar a afetar a sua vida, a trabalhar os seus estudos, o seu trabalho, a sua relação com as pessoas, é mais do que urgente você iniciar um tratamento. Se não tratada a síndrome pode se repetir mais frequentemente. Existe ainda um estágio em que a pessoa fica com medo de passar por uma situação idêntica aquela em que ela estava quando teve uma crise de pânico e entra na espécie do Ciclo Fóbico. Se você estava em uma academia quando teve o primeiro ataque, por exemplo, é possível que crie uma fobia de academias. Nesse caso, a pessoa terá um transtorno do pânico com agorafobia.