A Técnica Coringa para Controlar Ataque de Pânico: Respiração Diafragmática – Síndrome do Pânico

A Técnica Coringa para Controlar Ataque de Pânico: Respiração Diafragmática – Síndrome do Pânico
5 (100%) 1 vote

A Técnica Coringa da Síndrome do Pânico: Respiração Diafragmática

Vamos falar agora aqui na Academia de Ex-Portadores de Síndrome do Pânico da técnica coringa para controlar ataque de pânico. Ela é conhecida superficialmente por todos, mas até onde eu sei, é pouco aplicada com eficácia porque a maioria das pessoas acabam fazendo de uma forma errada.

E aqui nesse artigo eu vou compartilhar com você como fazer respiração diafragmática para controlar os sintomas durante um ataque de pânico.

A respiração é a base de tudo. Ela pode tanto gerar os sintomas de ansiedade e um ataque de pânico se realizarmos a hiperventilação, quanto diminuí-los e controlá-los através da respiração diafragmática e as técnicas combinadas que ensino no meu livro. Falarei mais a respeito desses dois tópicos abaixo, com ênfase na respiração diafragmática.

A Hiperventilação

De forma bem simples e resumida falando, a hiperventilação é quando você respira mais rápido, manda mais oxigênio pra dentro, e como consequência disso, geram sintomas de como se você tivesse corrido 400 metros o mais rápido que você conseguiu!

O coração acelera para oxigenar mais, sua temperatura aumenta, ocorre transpiração e muitas outras coisas que eu cito no meu livro.

Quer a notícia ruim? Muita gente faz isso de forma inconsciente, e os sintomas de ansiedade e ataques de pânico surgem “de repente” e não sabem o porque!

Com a respiração diafragmática, a nossa técnica coringa, ela vai agir limitando o oxigênio que você está mandando pra dentro, forçando o coração bater mais devagar, e produzir mais dióxido de carbono, e por fim, mantendo o equilíbrio dos dois. Corrigindo sua respiração, os seus sintomas físicos diminuem. Parece bom? Continua lendo!  😉

Imagine uma técnica portátil que você aplica sem precisar de um objeto, alguém ou qualquer outra coisa que não dependa de você e que aja diretamente no sintoma que mais incomoda, que é o coração acelerado? Boas notícias, baby! Estou falando da respiração diafragmática. E para aplicar, você só precisa apenas do seu lindo e leve corpo vivo, a informação exata de como fazer corretamente e entrar em ação.

É importante ressaltar que essa técnica coringa é utilizada apenas para momento de agitação pré-crise ou durante um ataque de pânico. Ela em si, não consegue controlar a síndrome do pânico totalmente. Na realidade, há um conjunto de outros fatores, além do autoconhecimento, que irão realmente te ajudar a controlar também a síndrome do pânico da mesma forma que fiz. Meu livro fala disso! 🙂

Então tenha em mente que essa técnica é para te ajudar a diminuir os sintomas na hora que eles estiverem desconfortáveis!

 

Como fazer Respiração Diafragmática

É simples, mas é preciso prestar atenção. O que as pessoas fazem normalmente? Elas respiram jogando o ar superficialmente para o pulmão, e o soltando. Tudo certo até ai. Não há nada de errado. Mas para usarmos a respiração a favor da síndrome do pânico, você precisa direcionar o ar para outro lugar

Na respiração diafragmática, você deverá seguir as orientações a seguir:

respiração diafragmática síndrome do pânico
respiração diafragmática síndrome do pânico

ORIENTAÇÕES RESPIRAÇÃO DIAFRAGMÁTICA:

  1. Inspirar pelo nariz e direcionar o ar para a sua barriga, de forma que ela se expanda. O peito deve ficar intacto ou pouco se mover. (Ver imagem no artigo);
  2. Soltar o ar lentamente pela boca, na mesma contagem ou mais longo que a inspiração. (Se você inspirou durante 4 segundos, irá expirar em 4 ou 6 segundos. Veja o que funciona melhor com você)
  3. Repetir o procedimento até os sintomas abaixarem. Fique tranquilo. Realmente funciona!

Seu dever agora, nesse exato momento, é parar o que está fazendo e treinar. Treinar 3 à 5 minutos a respiração diafragmática para que você, quando (se) precisar usar, já tenha a prática e os resultados sejam ainda melhores!

Importante ressaltar que você não irá desmaiar ou qualquer outra coisa do tipo realizando esse tipo de respiração. Ela é totalmente segura, eficaz e ideal para pratica de relaxamentos e principalmente controlar ataques de pânico de forma bruta!

academia de ex-portadores de síndrome do pânico
academia de ex-portadores de síndrome do pânico

Se você gostou dessa técnica, poderá gostar também do meu livro completo “O Manual Para Se Tornar Um Ex-Portador de Síndrome Do Pânico” onde eu escrevi tudo o que realmente funcionou para eu me tornar um ex-portador de síndrome do pânico, e traduzido na linguagem para você também se tornar um.

O meu método é baseia-se na compreensão dos processos e fisiologias, técnicas de enfrentamento de crises, autoconhecimento, atitude e comportamento, programação neurolinguística, estratégias de guerra, proatividade e princípios de empreendedorismo, e o mais importante, a minha experiência na pele com o assunto!

>>>> Você pode adquirir a sua cópia aqui nesse link! <<<

Achou útil esse artigo? Compartilhe e vamos ajudar mais pessoas!

Pense em uma pessoa agora que poderia gostar desse artigo? Pensou?

Agora em algum botão aqui no artigo para compartilhar e enviar / marcar essa pessoa. Ela vai gostar! E após isso, cadastre-se aqui na minha lista de emails gratuita do site para você receber mais material exclusivo meu para te ajudar com a síndrome do pânico, seu sucesso pessoal e profissional!

Vini.

Receba Mais Dicas para Controlar a Sua Síndrome do Pânico!

Insira o seu endereço de email abaixo para receber mais dicas para síndrome do pânico através aqui da Academia de Ex-Portadores de Pânico! Informe seu e-mail atual abaixo agora!>

As Sequelas da Síndrome do Pânico… O que eu Trago de “Cicatriz” dela?

As Sequelas da Síndrome do Pânico… O que eu Trago de “Cicatriz” dela?
Avalie essa dica

A Síndrome do Pânico deixa sequelas?

Muito se fala de como controlar ataque de pânico, técnicas de enfrentamento para crises de pânico, remédio pra síndrome do pânico, mas até hoje não vi falarem sobre sequelas da síndrome do pânico. Então vamos trazer esse assunto à tona!

sequelas síndrome do pânico
sequelas síndrome do pânico

Embora isso seja um ponto cego para muitos, eu acredito que sim, que a síndrome do pânico pode deixar sequelas irreversíveis. E eu não digo sequelas relacionadas diretamente ligada ao que sentimos em crises, sequelas físicas, e sim de recordações que que podem trazer um sintoma ou outro à tona, ou até todos. Mas calma que vou explicar isso melhor como funciona na prática.

Essas janelas de recordações da síndrome do pânico que surgem é porque vivenciamos esses eventos de forte impacto em nossas vidas, os ataques de pânico, toda aquela sensação de que parece que estamos morrendo, todos os sintomas, mas que é apenas nosso corpo disparando os sintomas para nos proteger porque associamos algo com perigoso, e ele reage para lutarmos ou fugirmos daquele perigo. Eu falo isso com mais profundidade no livro que irei lançar dia 26/02/2016 – O Manual para se Tornar um Ex-portador de Pânico (Você pode receber mais infos dele se cadastrando na minha lista aqui no site)

Hoje eu não sofro mais com a síndrome do pânico, porém, sofro com as sequelas mentais que ela deixou pra mim, e minha experiência de quase morte, contribui ainda mais e me deixa “sensível” aos sintomas de luta x fuga.

Como as sequelas da Síndrome do Pânico funcionam na prática?

Ta, Como isso acontece na prática aqui com o Vini? 

Logo antes de eu desenvolver a síndrome do pânico, eu passei por um evento de forte impacto emocional, que foi uma experiência de quase morte devido à complicações cardíacas da reação adversa de uma mistura de medicamentos para gerar um efeito termogênico e queimar gordura.

E todos aqueles sintomas que senti quando estava com essas complicações, eram semelhantes das crises de pânico, como o coração acelerado parecendo bateria de escola de samba, pressão alta, mãos transpirando frio, fraqueza e confusão mental. E toda vez que eu me lembro daquela experiência dentro da academia, me dá aquele “frio na barriga”, sabe? E esse mesmo frio na barriga, se eu não estiver informado o suficiente, posso achar que é uma crise de pânico novamente, meu corpo vai achar que isso é perigoso e disparar os sintomas de luta x fuga, e novamente, vem a crise de pânico.

Há um tempo, passei por uma situação onde eu estava despreparado. Diante de um excesso de tarefas e compromissos, acordei por volta de 08:00h sentindo um mal-estar no peito (não era dor, era aquela sensação estranha mesmo), sem paciência e isso se prolongou por 6 horas. Lembro de que desci para ir no mercado, sentei na escada do prédio e comecei a chorar sem motivo aparente. Isso às 9 da manhã!

Mais tarde, às 14:00 começou a ficar mais intenso o que eu sentia! Comecei a sentir leves fisgadas no peito, logo me veio à tona o que vivenciei na academia de quase morrer, e lembrei que eu estava passando por um motivo que causa a morte: stress, nervosismo. E aquilo me assustou porque eu lembrei da experiência que tive de quase morrer, e meu coração começou a acelerar, minha pressão aumentou, comecei a ficar agitado e a única coisa que eu queria era ir para o hospital porque na minha cabeça eu estava mesmo morrendo pelo stress, e se não fosse feito algo, poderia dar alguma outra complicação.

Ok. Pedi para minha mãe ir comigo no hospital, ela concordou. Fomos andando até o Hospital Villa Lobos, na região da Mooca. No momento em que escrevo isso, é apenas 1km aqui de casa. Fui com o coração acelerado e sentindo muita fraqueza, além das fisgadas. Estava nítido pra mim que havia algo de errado ali.

Chegando no hospital, fui passado na frente por ser um problema cardíaco até então, mas depois de fazer um eletrocardiograma (ECG), o médico constatou que era apenas stress e nervosismo. Expliquei pra ele o que estava acontecendo.

E após esse relato, como concluo que a síndrome do pânico me deixou sequelas?

Pelo simples fato de unir a cueca com a calça, um fato com outro, e ligar os pontos. Oi? Como assim? Vamos lá que vou enumerar para você entender melhor:

  1. O Vini quase morreu de problema cardíaco em 2013 que geraram sintomas parecidos com o de um ataque de pânico;
  2. Por conta de quase morrer, desenvolveu a síndrome do pânico. (Existem diversos motivos que podem gerar uma síndrome do pânico);
  3. Vini sofreu com ataques de pânico durante 8 meses, de 2013 para 2014, enquanto aprendia a lidar, controlar, ver o que funcionava ou não, estudando horas e horas por dia;
  4. Vini se livrou da síndrome do pânico, meio do ano de 2014, mas as memórias ficaram, assim como a de um relacionamento que termina;
  5. Vini leva sua vida normalmente hoje, faz todas as atividades e cuida de sua saúde em todos os sentidos para não estimular ataques de pânico novamente;
  6. Vini em 2016 começou a ter uma overdose de informação e excesso de tarefas que geraram pouco a pouco um mal-estar nele, que ele ainda não sabia lidar;
  7. Certo dia Vini acordou com um mal-estar, stress, nervosismo e vontade de chorar devido ao excesso de tarefas que ainda não sabia como lidar com eficácia;
  8. No mesmo dia, o mal-estar começou a ficar mais intenso e veio à tona a imagem do Vini que quase morreu na academia devido à complicações cardíacas;
  9. Devido às imagens que o vini resgatou, as janelas de recordações, ele ficou assustado e lembrou/pensou que poderia estar tendo um começo de um ataque cardíaco por conta do stress e nervosismo que causa morte em níveis elevados e os sintomas de luta x fuga começaram a surgir e intensificar ainda mais o mal-estar;
  10. Vini decidiu ir para o hospital, fez um eletrocardiograma e o médico disse que estava tudo bem, era só stress e nervosismo;
  11. Com o exame em mãos, com o coração OK, Vini entendeu que não estava tendo um ataque de cardíaco e que precisava somente aprender como lidar com a overdose de informações e excesso de tarefas;
  12. Vini também aprendeu que stress e nervosismo pode gerar desconforto no peito e mau humor;

Agora a pergunta, o Vini ainda tem síndrome do pânico?

Não! O Vini já colocou na cabeça há mais de um ano que ele não tem mais síndrome do pânico e ele se comporta como tal. Agora se ele ainda tivesse a ideia de que ele é um portador de síndrome do pânico, provavelmente ainda estaria se comportando e falando como tal. Porém, vini tem as sequelas de síndrome do pânico. Podemos colocar de uma outra forma:

Sensibilidade com os sintomas de luta x fuga, os ataques de pânico

Mas, Vini… Todo mundo irá sentir as sequelas da síndrome do pânico?

Eu realmente não sei! Cada um é cada um. Estou relatando minha experiência. Eu espero que você ou o seu colega no qual você está procurando ajuda pra ele, esqueça tudo o que aconteceu e leve a vida normalmente, apenas mantendo o hábito de cuidar da saúde em todos os pilares.

E após eu relatar sobre as sequelas da síndrome do pânico, eu peço que não fique desanimado como se fosse uma sentença de morte, ou coisas do tipo. Fique completamente ANIMADO por ter alguém que já passou pelo o que você está mais propício a passar e se prepare para isso!

Insights desse post:

Agora você sabe:

  • As janelas de recordações do sintoma podem vir à tona facilmente devido à algo que você esteja passando e que lembre o que você passou;
  • stress e nervosismo pode gerar mal-estar no peito;
  • Um eletrocardiograma diz se seu coração está ok, e isso faz você se acalmar, mesmo que ainda esteja desconfortável.
  • Cada caso é um caso, não é todos que sofrerão com as sequelas.
  • Você deve viver sua vida normalmente, mas deve manter o hábito de ter uma vida saudável e cuidar do seu coração, mente e corpo!
  • Você deve colocar na mente que você é um ex-portador de pânico. (Não é falar “Eu não tenho mais pânico”, e sim falar “eu sou ex-portador de pânico”. Há uma diferença neurolinguística nisso. O cérebro não processa a palavra “não”. Ou seja, você acaba reafirmando.

Achou útil esse post?

me ajude a ajudar mais pessoas! Aperta aí e compartilha no seu Facebook ou Whats App. Há milhares de pessoas esperando por esse post que você nem imagina! Não consigo alcançar sozinho essas pessoas. Me ajude nessa causa e vamos juntos ajudar mais pessoas e contribuir para um mundo melhor!

Vinícius Tadeu.

Receba Mais Dicas para Controlar a Sua Síndrome do Pânico!

Insira o seu endereço de email abaixo para receber mais dicas para síndrome do pânico através aqui da Academia de Ex-Portadores de Pânico! Informe seu e-mail atual abaixo agora!>

Overdose de Informação é Prejudicial para Pânico e 2 Formas para Diminuí-la

Overdose de Informação é Prejudicial para Pânico e 2 Formas para Diminuí-la
Avalie essa dica

Overdose de Informação é Prejudicial para Pânico e 2 Formas de Diminuí-la!

Você sabia que a quantidade de informação que você pode estar consumindo diariamente uma verdadeira overdose de informação, é consequentemente, prejudicando no controle de crises de pânico, ansiedade e depressão? Irei usar alguns exemplos aqui para que você fique consciente disso e tome uma ação para mudar e melhorar seus resultados e melhorar seu quadro dia após dia! 😉

overdose de informação
overdose de informação

O que é Overdose de Informação?

A overdose de informação é algo que muita gente passa diariamente e nem se dá conta (na grande maioria das vezes). A imagem ao lado define muito bem o que é overdose de informação.

De qualquer forma, overdose de informação é consumir informações de vários meios (noticiários, novelas, facebook, rádio, whats app, sites de fofoca, e afins – vou comentar um a um abaixo), e você combina cada um desses pontos diariamente e seu estado acaba ficando muito ruim e as vezes você nem sabe!

Agora vou comentar um a um e é importante deixar claro que cada um tem sua parte boa, por menor que ela seja! E também respondo como você pode resolver essa overdose de informação com duas maneiras bem simples e poderosas!

Assistir TV / Ouvir Rádio

Sabemos que hoje em dia a TV não transmite muita informação útil, raros os programas e documentários que salvam transmitindo algo que agregue valor a você e sua vida! O mesmo vale para o rádio, em horários em que transmitem programas ou notícias. Exemplos como:televisao

Informações de Noticiários:

Noticiários em si até transmitem uma ou outra informação útil, mas o que prioriza são as partes ruins, como tragédias, crise financeira, guerras, drogas, fofocas e coisas do tipo…
Agora imagine a seguinte situação:

Crises de Pânico: Vou usar esse exemplo do que aconteceu comigo, sem dar muitos detalhes por que é pior quando detalha muito, de quando eu sofria com pânico.
Havia quase morrido na academia, e por conta disso, havia desenvolvido as crises. De repente, estava assistindo TV com meu pai e passou a reportagem de um jovem que havia passado mal na academia e falecido. Como você acha que foram meus dias seguintes após consumir aquela informação que nada agregou a mim, somente prejudicou?

Ansiedade: Imagine que passa uma reportagem dizendo que o índice de assaltos aumentou na sua cidade, muitos deles seguidos de morte, como você acha que irá se sentir quando precisar sair? Seus níveis de ansiedade irão aumentar, e até mesmo disparar os sintomas de ansiedade!
Novelas

Depressão: Imagine que você decide assistir TV e resolve assistir o Cidade Alerta, por exemplo. Já parou pra reparar na quantidade de tragédias que transmite lá? Agora imagine que você ainda não conhece o Projeto Instituta, não faz tratamento com psicólogo, psiquiatra e nem nada do tipo, está simplesmente no “piloto automático” da vida nessa situação. Imaginou? Diante dessa situação hipotética, você está desacreditado da vida e começa a assistir ao Cidade Alerta, como você espera se sentir após 10 minutos? Bom… Preciso nem comentar, não é mesmo?

Começa a fazer sentido pra você?

Feed de notícias do Facebook para passar o tempo;

Agora imagine que você namora ou é casado(a)… Certo dia você chega no seu emprego ou empresa pela manhã e decide dar uma olhadinha básica no Facebook e descobre que seu parceiro(a) publicou uma foto com o(a) ex, ou até mesmo que Fulana Ciclana está internada só que você não pode ligar, mandar mensagem para resolver uma das duas situações de exemplo por que tem um dia longo pela frente de reuniões? Como você espera facebook curtirse sentir após isso? Milhares de coisas irão se passar pela sua cabeça!

Ou até mesmo aquele vídeo que todos compartilham de um acidente (talvez até mesmo semelhante com algo que você já passou) ou em outro caso, se foi um acidente em uma via X por exemplo, amanhã você precisará passar por lá…

Informações de Whats Apps (Grupos, Pessoas que fazem desserviço):

Sabe aquela pessoa ou aquele grupo que você participa no Whats App que agrega valor nenhum à sua vida? Então… Geralmente só compartilham fotos e vídeos de tragédia, de morte e coisas do tipo? Imagine os exemplos dentro de pânico, ansiedade e depressão que usei com a TV e Rádio acima, aplicados também aqui para esse tipo de informação nesses grupos?whats app logo

Sites de fofoca

“Mulheeeeeeeeer, você viu que aquele famoso vai se casar com a Fulana?”. Que tal, aproveitar esse tempo e deixar de consumir informação de sites de fofoca para buscar conhecimento para ter o sucesso que você quer, seja ele contra as crises de pânico em si, ansiedade ou depressão? Ou até mesmo em alguma outra área da sua vida? Experimente adotar o hábito de buscar por conhecimento, você só tem a ganhar!

Afins

Acredito que com os exemplos mostrados acima, deu pra entender um pouco sobre essa questão de overdose de informação e como ela é prejudicial pra você! E no “afins” caracteriza-se por todos os outros meios e seu dever agora é ficar observando o tipo de informação que você anda consumindo e como isso está agregando à sua vida.

Faz sentido isso pra você ou acha que sou louco?

Como diminuir o excesso de informação?

por favor gifSimples e direto: pratique a ignorância de informações, ignorando informações desnecessárias. Simples assim. E ande com pessoas boas… Boas no sentido do seguinte exemplo: Se você mais andar com 5 pessoas felizes, não há como você ficar triste. Se você mais andar com 5 pessoas tristes, não há como você ficar feliz. O mesmo vale para pânico, ansiedade, depressão, nervosismo, finanças, sucesso, empreendedorismo, tudo… Busque novas conexões para te impulsionar para o seu sucesso contra as crises de pânico, ansiedade e depressão!

São pequenas atitudes diárias que irão te trazer o sucesso desejado! Quem tem sucesso em alguma área, pode ter certeza que não é da noite para o dia, e sim, dia após dia, com atitude e comportamento em busca do progresso! Eu já passei pelos 3 (pânico, ansiedade e depressão), acredite no que estou falando!

Vamos ajudar mais pessoas juntos?

O que acha de nós dois juntos ajudarmos mais pessoas? É bem simples… Basta compartilhar agora o post no seu facebook, twitter, LinkedIn, E-mail, Whats App.. Tem os respectivos botões aqui abaixo e/ou ao lado na página!

E se você quiser ir mais além, ganhar um guia prático com 10 técnicas de enfrentamento e ainda receber minhas dicas extras por e-mail (e gratuitas), cadastre-se abaixo agora na minha lista gratuita de emails.

Baixe Grátis Meu Guia Prático com 10 Técnicas de Enfrentamento Passo a Passo

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

 

ansiedade

Sintomas de Ansiedade

Sintomas de Ansiedade
Avalie essa dica

Sintomas de Ansiedade

ansiedade
ansiedade

O que é ansiedade? É nada mais, nada menos que o mal do século. E talvez você saiba, como talvez não. Vivemos na era da informação e há todo momento somos bombardeados com as mesmas e isso acaba nos trazendo problemas a longo prazo. Muitos confundem ela com a Síndrome do Pensamento Acelerado que é um outro assunto, que pode ser colocado em outro post.

Em poucas palavras, ela é basicamente a antecipação do futuro de forma positiva ou negativa. Entre os tipos de ansiedade existentes, podemos citar a normal que todos sofremos, transtorno ansiedade generalizada (tag), ansiedade digital e ataque de panico. Ambos podem se manifestar de forma física e/ou mental.

Os sintomas mais comuns mentais são: Excesso de informação, medo, angústia, insegurança, pensamento negativo, vontade de comer doces, antecipação do futuro, desanimo e cansaço mental. Em alguns casos, pode chegar a apresentar um ataque de panico e esse número está aumentando a cada mes que passa.

Sintomas Físicos de Ansiedade?

Sim! Alguns:

batimento cardíaco acelerado;
boca seca;
cansaço fácil;
dificuldade para engolir ou “bola na garganta”;
esquiva de lugares que estimulam o desconforto;
facilmente assustado;inquietação;
náusea, diarréia ou problemas estomacais;
respiração superficial;
rubores (calores) ou calafrios;
tensão muscular, dores musculares;
tonteira, vertigem;
transpiração não devido ao calor; mãos suadas;
tremores, espasmos musculares;
urinação frequente;
ataque de panico.